Naturalmente, empresas passam por períodos desafiadores, seja por problemas de administração, seja por mudanças de posicionamento ou diversos outros motivos. Diante delas, o gestor precisa ser corajoso para tomar as medidas necessárias para salvar seu negócio e equilibrar as finanças.

Porém, há também fatores externos que sacodem as estruturas das organizações, como é o caso das crises pelas quais a economia mundial passa em determinados períodos. E é neste momento que a busca por soluções eficazes começa.

Em meio a isso, o primeiro passo a ser dado para sair sem arranhões e até mesmo com o empreendimento fortalecido é não se desesperar nesses períodos, mas encará-los como uma oportunidade. É essa a hora de mostrar a capacidade de se reinventar, a criatividade para inovar e o equilíbrio necessário para não balançar diante das dificuldades. Quem se apega às velhas fórmulas que um dia fizeram sucesso corre o risco de ficar para trás.

Sendo assim, a ordem aqui é não se acomodar e investir em novas soluções e gerar vantagem competitiva em relação aos concorrentes. Motive sua equipe a estar sempre pensando em novos métodos e processos, deixando claro o papel decisivo que ela tem nesse momento de turbulência. Profissionais engajados fazem toda a diferença.

Um dos segredos é surpreender os clientes. Pense que se você está tomando diversos cuidados, analisando tudo com calma, eles também estão fazendo o mesmo. Portanto, a missão é vencer essa cautela e comprovar que comprar seus produtos ou contratar seus serviços é um investimento e trará retorno positivo. Isso vale ainda mais quando a consequência é a redução de gastos.

Gestão qualificada para equilibrar as finanças em tempos de crise

Está claro que uma saída para a crise é aproveitar as oportunidades. Porém, em meio a tudo isso é fundamental fazer uma gestão eficiente das finanças. Tome medidas que proporcionem um equilíbrio nas contas, mas que não prejudiquem alguma área estratégica do seu negócio. Na sequência, vamos falar sobre algumas delas para ajudar você nesse momento desafiador do seu empreendimento.

Antes de qualquer coisa, é necessário conhecer o ambiente, ou seja, entender o cenário econômico do Brasil e do mundo, porque, afinal, temos um mercado globalizado. Faça uma leitura de todo o contexto e saiba o que está acontecendo de mais importante e impactante na economia.

Fazendo isso é possível dimensionar o tamanho da crise e compreender como ela afeta seu segmento e, consequentemente, o seu negócio. Para fazer essa análise, acompanhe os principais noticiários econômicos e saiba a opinião dos analistas mais conceituados, pois eles estão constantemente interpretando o momento. Além disso, converse com outros empresários.

Falando propriamente das medidas que devem ser tomadas, umas das principais é o rigoroso controle das finanças. Isso deve ser feito sempre, mas em períodos de baixa da economia essa prática é ainda mais essencial. Dê atenção especial ao fluxo de caixa, que é um dos principais instrumentos da gestão. É imprescindível saber exatamente os valores que entram e saem, pois, dessa forma, há como saber se existe algum furo.

A partir desse controle, o gestor tomará as decisões necessárias para manter o equilíbrio das finanças. Aqui, é aconselhável evitar as mais drásticas e começar pelas que causam menos traumas. Demitir funcionários, por exemplo, pode ficar para quando a situação estiver realmente crítica e essa for a única solução.

Portanto, olhe para seus processos internos e veja onde é possível otimizar e reduzir alguns gastos mais pontuais. Um exemplo é o reaproveitamento de materiais ou até mesmo a substituição por uma opção mais barata e de qualidade.

Por mais que nem sempre seja fácil encontrar essas alternativas, vale uma pesquisa de mercado mais intensa. No dia a dia, essas medidas talvez pareçam pequenas, mas no fim do ano elas fazem a diferença.

Outro ponto, que já é bastante difundido, mas não custa relembrar e ressaltar, é a economia de energia elétrica e água. Diversas grandes empresas já reaproveitam os recursos hídricos e conseguem reduzir bastante a dependência dos sistemas de abastecimento. Desligar sempre os computadores, deixar as luzes apagadas quando não tem ninguém no ambiente também são atitudes que ajudam.

Adaptando o planejamento

Revisitar o planejamento também é importante. Algumas metas podem ser revistas, outras, adicionadas ou cortadas. Enfim, o fato é que alguns objetivos são traçados em momentos de pujança e bons ventos da economia.

Dessa forma, quando a maré não está tão boa eles devem ser repensados, mas sempre com cuidado para não deixar o pessimismo tomar conta. Por isso, é bom ter aquele estudo detalhado do ambiente.

Como consequência dessa medida, os investimentos também precisam ser analisados com cuidado. Talvez seja o momento de tirar de um lugar e colocar em outro mais estratégico, como é o caso da inovação, que citamos no começo deste texto.

Aplicar recursos no marketing é mais uma saída interessante em tempos de crise, pois manter a comunicação e fazer com que as pessoas não esqueçam sua marca é primordial. O que vale, claro, é adaptar o tom do discurso.

Nesse sentido, é necessário cuidar ao fazer negócios. Às vezes, eles parecem tentadores e lucrativos, mas, com o tempo, revelam-se verdadeiras dores de cabeça. Então, seja cauteloso e só feche o contrato quando tiver máxima certeza de que realmente vale a pena.

Aqui cabe fazer uma análise de risco do futuro parceiro, para saber quais são as condições de crescimento e rentabilidade. O segredo é não andar no escuro.

Antecipação de recebíveis

Outro instrumento que ajuda a organizar o fluxo de caixa e a equilibrar as finanças é a antecipação de recebíveis. Na prática, em vez de emprestar dinheiro, você recorre a uma instituição que antecipa um dinheiro que já é seu, mas seria incorporado ao caixa somente no futuro.

No caso de uma loja de calçados, por exemplo, ela receberá de uma vez o valor da compra de um tênis que seria pago em prestações.

Entre as vantagens dessa operação, uma delas é precaver-se dos riscos da inadimplência, mas a principal é mesmo garantir o fluxo de caixa sem comprometer o saldo mensalmente, pois você não está tirando dinheiro do caixa para pagar o banco.

Se você quiser entender ainda melhor as vantagens de antecipar valores para a segurança das finanças da sua empresa, conheça mais sobre essa prática com nosso e-book:

Para finalizar, ressaltamos que toda atenção é pouca nesses períodos, mas que também é importante não se desesperar e manter a calma. Então, não perca tempo e faça os ajustes necessários para manter seu negócio no rumo certo. Se precisar de algum suporte para equilibrar suas finanças, fale com a Valorem!

Leave a Reply

Solicitar - Máquina móvel (C680)




    * Campos obrigatórios

    Solicitar - Máquina móvel (Link 2500)

    Solicitar - Máquina móvel (D150)




      * Campos obrigatórios

      Solicitar - TEF (PPC930)




        * Campos obrigatórios

        Solicitar - Link de pagamento

        Solicitar - ValoremPay




          * Campos obrigatórios

          Solicitar - Antecipação de recebíveis fornecedores

          Solicitar - Antecipação de recebíveis






            * Campos obrigatórios

            Solicitar - Investimentos






              * Campos obrigatórios

              Investir FIDC

              Investir em Debêntures