Prejuízo de capital é um conceito utilizado para mensurar o quanto o prejuízo com a inadimplência é potencializado de acordo com o tempo. Quer dizer, ao não receber por algo que vendeu, a empresa não está perdendo apenas aquela quantia, mas tudo o que poderia ser realizado com ela para gerar ainda mais valor ao negócio.

Um conceito equivalente ao prejuízo de capital é o custo de oportunidade. Ele trata do valor que se deixa de acumular pela renúncia a algum bem. Para entender melhor: se uma empresa constrói um novo edifício em um terreno anexo à sua planta original, ela abre mão de utilizar aquele terreno para, por exemplo, vender a uma imobiliária ou fazer render para fins de valorização territorial.

O prejuízo de capital tem uma lógica parecida. Quando uma empresa deixa de receber o pagamento de um cliente, a perda acumulada não diz respeito apenas àquele valor propriamente dito, mas ao que poderia ter sido feito para aumentar o patrimônio e não foi realizado pela falta daquele recurso. Essa perda pode incluir expansão, desenvolvimento de um novo produto, investimentos ou melhorias, ações que geram valor agregado.

O pior é que a empresa não perde apenas por deixar de investir. Mesmo se aquele dinheiro não tivesse sido usado para nada, a perda ainda é grande. Para facilitar, vamos utilizar um exemplo: imaginemos que a uma empresa tenha direito ao recebimento de R$ 10 mil por um produto vendido, mas o cliente responsável por esta dívida está atrasado há seis meses.

Se considerarmos apenas a taxa Selic, em 6,5% ao mês (valor de novembro de 2018), a perda já estaria em aproximadamente R$ 4 mil. Você consegue entender a grandeza disso? O prejuízo de capital que a empresa está acumulando vai além dos R$ 10 mil não pagos. Por isso, é urgente que se tome uma atitude o quanto antes, porque a falta de uma ação concreta para recuperar este valor pode representar um verdadeiro ralo de dinheiro para o seu negócio.

Como resolver o prejuízo de capital

Antes de mais nada é preciso considerar que, embora o exemplo que acabamos de apresentar possa parecer uma situação contornável, é necessário ficar atento! A verdade é que, se observarmos todas as inadimplências de todos os clientes ao longo de um ano inteiro, a sua empresa pode estar acumulando uma perda que não está entrando na contabilidade.

Isso pode representar um grande perigo para a sustentabilidade do negócio e é um dos cuidados a serem observados para evitar situações extremas, como a recuperação judicial. Além disso, evitar o prejuízo de capital é valorizar todo o trabalho e todo o esforço que você e sua empresa têm para crescer e alcançar as metas estabelecidas.

Portanto, o primeiro passo é tratar a cobrança como uma atividade estratégica dentro da empresa. Ou seja, trata-se de um trabalho que deve ser realizado por profissionais capacitados, treinados e com a infraestrutura e o preparo psicológico adequados para lidar com a situação, incluindo a isenção necessária ao lidar com este assunto.

Alocar colaboradores do financeiro, de compras, vendas ou qualquer outro setor para eventualmente tratar da cobrança é não dar a devida atenção a este trabalho. Lembre-se: improvisações só vão adiar o inadiável, que é a contratação de especialistas.

O papel de uma assessoria de cobrança para estancar o prejuízo de capital

Uma assessoria de cobrança faz toda a diferença porque é uma empresa dedicada exclusivamente a administrar os recebíveis de uma empresa. Este cuidado não deve aparecer apenas ao se identificar uma inadimplência ou, pior, quando já se entendeu que o cliente não está planejando pagar tão cedo.

É fundamental tratar dos recebíveis antes mesmo que eles vençam. Isso quer dizer que é preciso fazer um trabalho para lembrar os clientes da data correta de pagamento e, em caso de atraso, procurar garantir o pagamento da dívida o quanto antes, reduzindo o prejuízo de capital.

Vale lembrar que quanto mais a sua empresa demora para tratar deste assunto, maior é o prejuízo de capital que ela acumula e mais dinheiro que deixa de entrar no caixa. Por isso, este é um assunto urgente, que merece o devido cuidado.

Esperamos que você tenha gostado deste artigo e que ele tenha lhe ajudado. Compartilhe com os seus colegas e converse com a gente depois de conhecer o material que indicamos aqui. E se quiser conhecer soluções financeiras para contornar qualquer momento de dificuldade no caixa, fale com a Valorem!

Leave a Reply

Solicitar - Máquina móvel (C680)




    * Campos obrigatórios

    Solicitar - Máquina móvel (Link 2500)

    Solicitar - Máquina móvel (D150)




      * Campos obrigatórios

      Solicitar - TEF (PPC930)




        * Campos obrigatórios

        Solicitar - Link de pagamento

        Solicitar - ValoremPay




          * Campos obrigatórios

          Solicitar - Antecipação de recebíveis fornecedores

          Solicitar - Antecipação de recebíveis






            * Campos obrigatórios

            Solicitar - Investimentos






              * Campos obrigatórios

              Investir FIDC

              Investir em Debêntures