Estar atento a dicas para análise de risco dos negócios é um bastante benéfico a qualquer empresa que queira se manter sólida. Isso porque, por maior que seja a necessidade, fechar qualquer contrato sem avaliar o cenário em que o novo cliente se encontra pode apenas aumentar os seus problemas. Lembre-se: crescer e alcançar as metas estabelecidas dependem de relações comerciais saudáveis.
Com tudo isso, o melhor a se fazer é estruturar um planejamento estratégico voltado à análise dos novos negócios. Trata-se de uma ação decisiva para garantir mais tranquilidade nas operações, mas que também exige investimentos, entre eles, a contratação de um sistema que auxilie no trabalho de investigação, como o oferecido pela Serasa Experian.

As dicas para análise de risco Valorem e Serasa

A seguir, nós listamos dez dicas para análise de risco da Serasa e reunidas pela Valorem para que o seu trabalho de prevenção seja eficaz. Acompanhe!

1 – Verifique a coerência entre a atividade antecessora e a atual

Um primeiro indício de perigo pode ser encontrado ao se investigar a evolução da atividade da empresa. Se houver mudança de nome, é essencial verificar se a atual atividade tem coerência com a antecessora, representando apenas uma mudança. Se não for o caso, o CNPJ pode ser comprado, indicando ser uma empresa nova.
Além disso, é importante que haja sentido nessa mudança. Por exemplo: se a empresa vendia confecção e, depois de certo tempo, tornou-se uma mercearia, é bom averiguar se há uma razão para isso. Expandir os negócios é sempre algo positivo para toda empresa, mas mudanças abruptas podem sinalizar um motivo de alerta para quem está envolvido ou vai se envolver com ela.
Se a empresa não teve nenhuma atividade anterior, fique tranquilo, este item pode ser desconsiderado na hora de fazer a análise de risco.

2 – Compare a coerência entre fundação da empresa e relacionamento com fornecedor

Outra dica para análise de risco para avaliar a índole de uma empresa é olhar para os seus fornecedores, principalmente cruzando essa informação com a data de fundação do negócio. Quer dizer, desde quando existe relacionamento com os fornecedores? Ela passou muito tempo desde a fundação sem se relacionar com nenhuma outra empresa? Todas as informações a respeito dos contatos comerciais fazem sentido?

3 – Consulte o CNPJ

Esta aqui é a principal dica para análise de risco, uma iniciativa padrão de qualquer verificação. Consultar o CNPJ é uma maneira muito eficaz de verificar pendências e entender a forma como essa empresa se posiciona no mercado. É o coração desse trabalho de investigação.

4 – Observe a pontualidade e volume dos pagamentos

Analisar as práticas do seu potencial cliente em relação a outros contatos comerciais é fundamental para você conhecer a capacidade dele em honrar compromissos. Nesta pesquisa, é importante saber se ele é pontual e também se tem condições de arcar com o valor da venda ou da parcela acordada como pagamento ao produto ou serviço que você vai oferecer.
Ou seja, se esse futuro cliente não tiver o hábito de ser pontual e se a verificação no mercado der conta de que ele tem um volume de pagamentos acima da sua capacidade de honrar essas dívidas, é bom reconsiderar o negócio.

5 – Procure a existência de pendências financeiras

Na consulta ao CNPJ, é possível que você já tenha essa informação. Atentar-se à existência de pendências financeiras oferece um panorama bem eficaz sobre a realidade do potencial cliente e também permite que você tenha uma noção da disposição dele em negociar essas dívidas. Quer dizer, se elas estiverem há muito tempo ativas, é provável que acordos sejam difíceis com esta empresa.

6 – Pesquise se há protestos recentes

Além de pendências financeiras, é seguro procurar protestos recentes, tanto fiscais quanto de fornecedores. Eles são diferentes das pendências financeiras porque podem significar que já houve uma tentativa de saldar a dívida, mas esse acordo não foi bem-sucedido. Dessa maneira, a possibilidade de que um caso de inadimplência vire uma grande dor de cabeça é bem grande.

7 – Observe se a empresa não tem liminar

Muitas vezes, as empresas recorrem a liminares para impedir que os protestos sejam bloqueados para consulta. É uma maneira de tentar manter o crédito no mercado mesmo diante de um impasse comercial com algum fornecedor ou mesmo com órgãos governamentais, como a Receita Federal. Isso porque, com a liminar, a consulta dos protestos podem estar bloqueada. Se for o caso, é bom acender a luz amarela!
Para você saber observar se há liminar, basta ler a frase que aparece ao consultar o CNPJ. O texto a aparecer é: “Nada consta para o CNPJ consultado”. Caso a frase não seja exatamente essa, há uma grande chance de a empresa possuir uma liminar.

8 – Verifique se a situação do CNPJ é ativa

A situação regular do CNPJ precisa ser “ativa”. Se o CNPJ estiver inativo, você pode estar se envolvendo com algo perigoso para o seu negócio. Lembre-se que uma empresa sem o CNPJ ativo pode impôr dificuldades grandes ao fazer a cobrança em caso de inadimplência. Ela também pode estar envolvida com outras irregularidades, o que pode vir a se tornar um problema ainda maior.

9 – Avalie a coerência das atividades entre comprador x vendedor

As relações de compra e venda desse eventual cliente precisam fazer sentido. Se ele compra itens que não condizem com a atividade especificada, pode ser um sinal perigoso. Da mesma forma, se ele vende algo que não produz, ou se quem compra desse cliente não parece ser o público a quem o produto dele se destina, esses movimentos podem significar algo irregular.

10 – Verifique se a empresa teve alguma alteração contratual recente

Toda empresa que tenha sócios precisa registrar um Contrato Social, você bem sabe. Em síntese, é aquele documento que especifica as características do negócio e da sociedade. No trabalho de análise de crédito e risco, uma medida relevante é averiguar se houve alguma alteração nesse contrato. Esta informação pode ser obtida em “data do registro”.

A importância da análise de risco profissionalizada

Muitas pessoas acreditam que a análise de crédito se baseia unicamente na descoberta de pendências financeiras do futuro cliente. Nessas dicas para análise de risco, você viu que não é bem assim. Muitos outros fatores podem levar à inadimplência.
E às vezes, uma pendência financeira não define o cliente, ou seja, ele pode ter uma dívida em aberto por uma eventualidade, mas em geral, a empresa tem boa índole e relações muito positivas com os outros contatos comerciais. Por isso, contar com um serviço especializado de análise de crédito e risco é tão importante para entender o contexto real das informações.
Esse serviço especializado conta com profissionais treinados para fazer esse pente-fino completo que listamos aqui, equipamentos de ponta para que toda a pesquisa seja feita com agilidade e segurança e métodos confiáveis, como o que a Serasa disponibiliza. Para ter acesso a tudo isso, conte com a Valorem!
Nós oferecemos uma análise de crédito e risco completa para o seu negócio estar mais protegido da inadimplência e de outras dores de cabeça que podem aparecer por conta de clientes com pendências no mercado. Fale com a gente ou deixe a sua mensagem no espaço abaixo! Estamos sempre à disposição para auxiliar você!

Leave a Reply

Solicitar - Máquina móvel (C680)




    * Campos obrigatórios

    Solicitar - Máquina móvel (Link 2500)

    Solicitar - Máquina móvel (D150)




      * Campos obrigatórios

      Solicitar - TEF (PPC930)




        * Campos obrigatórios

        Solicitar - Link de pagamento

        Solicitar - ValoremPay




          * Campos obrigatórios

          Solicitar - Antecipação de recebíveis fornecedores

          Solicitar - Antecipação de recebíveis






            * Campos obrigatórios

            Solicitar - Investimentos






              * Campos obrigatórios

              Investir FIDC

              Investir em Debêntures