Todo empreendedor sabe que por mais que a empresa tenha cuidado, a inadimplência acontece. Em se tratando das pessoas jurídicas, por exemplo, o número de inadimplentes tem crescido continuamente. Só para você ter uma ideia, houve uma  alta de 6,75% em fevereiro de 2018 em relação ao mesmo período do ano passado. E este índice continuou aumentando nos meses seguintes, segundo o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), fazendo crescer também a demanda por cobrança.

Assim, ao constatar o crescimento da inadimplência na empresa, muitos começam a pensar em soluções para o problema. Porém, a grande dificuldade nesse processo é equilibrar as contas da empresa, principalmente em relação à folha de pagamento, com a volatilidade da demanda por cobrança, já que a necessidade deste serviço não se mantém estável durante todo o ano.

Isso porque há períodos em que há grande inadimplência e, consequentemente, necessidade de mais colaboradores focados nesse trabalho. Porém, outros períodos são mais tranquilos, com uma demanda por cobrança menor, o que acaba fazendo com que os funcionários fiquem ociosos.

O resultado de toda essa volatilidade é que a folha de pagamento acaba sofrendo impactos e pode até mesmo causar prejuízos. Pensando nessa dificuldade comum a muitas empresas, vamos abordar algumas medidas que podem ser tomadas para resolver este dilema.

Equipe interna de cobrança

Ao perceber o aumento da inadimplência, é comum buscar, o quanto antes, alternativas para resolver o problema. Assim, não é raro que uma das primeiras medidas seja tentar montar uma equipe de cobrança com funcionários que já fazem parte do quadro da empresa, como colaboradores dos setores comercial e financeiro, por exemplo.

Porém, esta medida não é a solução mais adequada para o problema e, além disso, pode trazer impactos negativos à sua empresa. Primeiro porque esses colaboradores podem não ter a especialização necessária para atuar no serviço de cobrança, o que pode causar estresse para eles e transtornos na relação com o cliente.

Em segundo lugar, não é indicado que pessoas do comercial, por exemplo, sejam responsáveis pela cobrança. Isso pode abalar o diálogo entre vendedor e comprador e fazer com que o cliente, agora inadimplente, não queira mais fazer negócios quando regularizar a sua situação, além de criar um clima de tensão dentro da empresa.

Por último, essa medida também é considerada ruim porque pode acabar sobrecarregando os funcionários, que precisarão exercer mais de uma atividade. Ao aumentar as atribuições de um funcionário, o correto é que ele receba por isso e, assim, a folha de pagamento também acabaria sofrendo impacto. Ainda assim, destinar alguém a um trabalho com o qual não se tem familiaridade pode prejudicar a motivação e a produtividade.

Equipe temporária para atender à demanda por cobrança

Pensando nos problemas de realocar funcionários do quadro da empresa, muitas vezes o empreendedor pensa em resolver o problema contratando novos funcionários para atuar exclusivamente na cobrança. Uma das opções são os temporários ou, conforme permitiu a mais recente reforma trabalhista, em regime intermitente, quando os profissionais são chamados para trabalhar apenas quando necessário e são pagos por esse período específico.

O problema é que tanto no caso de uma equipe temporária como na contratação de funcionários em período intermitente a rotatividade costuma ser alta. Assim, é comum que o contratado não assimile o ritmo e a cultura da empresa durante o trabalho, o que pode prejudicar a qualidade do serviço.

Além disso, no caso dos funcionários que atuam em período intermitente, outro grande problema é a volatilidade que também impacta na folha de pagamento. Como há variação na demanda por cobrança, não é possível saber quando será necessário contratar esses profissionais e, consequentemente, será difícil mensurar o impacto dessas contratações na folha de pagamento ― isso se eles ainda estiverem disponíveis para o trabalho no período solicitado.

Equipe efetiva para fazer a cobrança

Já que contratar funcionários temporários ou em período intermitente é desaconselhável por causa da variação nas despesas com folha de pagamento, outra opção seria a contratação de uma equipe efetiva. O problema, neste caso, é que esta medida também traz problemas.

A estruturação de uma equipe enxuta pode resultar em funcionários sobrecarregados em períodos com grande demanda. Mas também nem adiantaria montar uma estrutura grande, porque quando a demanda diminuir, esses profissionais vão ficar ociosos. Já os gastos com folha de pagamento não diminuiriam.

Demitir e contratar conforme a demanda dos diferentes períodos do ano também não seria recomendável, já que os custos de admissão e demissão são pesados para se arcar com certa frequência e para um número maior de funcionários.

Soluções financeiras para escolher o melhor para sua empresa

Considerando essas variáveis, a sua empresa precisa ponderar qual é a melhor alternativa diante de todo esse contexto. E seja qual for a solução escolhida, recursos financeiros serão necessários para estruturar o planejamento para uma cobrança eficaz.

Nesse sentido, você pode contar com a antecipação de recebíveis da Valorem, uma alternativa de crédito inteligente e prática para auxiliar a gestão financeira do seu negócio. Entre em contato conosco e conheça essa solução!

Leave a Reply

Solicitar - Máquina móvel (C680)




    * Campos obrigatórios

    Solicitar - Máquina móvel (Link 2500)

    Solicitar - Máquina móvel (D150)




      * Campos obrigatórios

      Solicitar - TEF (PPC930)




        * Campos obrigatórios

        Solicitar - Link de pagamento

        Solicitar - ValoremPay




          * Campos obrigatórios

          Solicitar - Antecipação de recebíveis fornecedores

          Solicitar - Antecipação de recebíveis






            * Campos obrigatórios

            Solicitar - Investimentos






              * Campos obrigatórios

              Investir FIDC

              Investir em Debêntures