Formar corretamente o preço de venda de um produto ou serviço é essencial para que as empresas assegurem a sua saúde financeira e conquistem competitividade no mercado em que atuam. E para ajudar você nessa tarefa, separamos algumas dicas sobre o que analisar e como calcular esse valor no seu comércio. Acompanhe!

Como formar o preço de venda de um produto

Ao formar o preço de venda de um produto, você deve considerar os custos e as despesas relativas à fabricação e à comercialização desse item e a margem de lucro que deseja obter com a venda dele. Para entender como isso funciona na prática, vamos imaginar o caso de uma nova loja de roupas que está definindo o preço do seu estoque pela primeira vez.
O primeiro passo é entender a diferença entre os custos e despesas: os custos são os gastos que as empresas têm com a fabricação de determinado produto. No caso de uma loja que revende roupas, o custo seria apenas o preço pago por cada peça. Já se a própria loja produz as roupas, os custos seriam compostos pelo salário dos costureiros, o tecido, os botões, entre outros materiais.
Já as despesas são os gastos relacionados à venda das mercadorias, o que inclui impostos, salário dos vendedores, aluguel, energia elétrica, entre outros itens. No caso da nossa loja de roupas, para fazer o cálculo das despesas, o ideal seria somar todos esses gastos e dividir o resultado pelo número de peças disponíveis no estoque.
Por exemplo, digamos que a soma das despesas seja R$ 5.200 (impostos, salário dos vendedores, energia elétrica, internet, meio de pagamento, entre outros itens) e a loja tenha 130 peças em estoque. Dessa forma, as despesas com a venda de cada roupa somariam R$ 40, já que dividimos o total das despesas pelo número de peças adquiridas pelo comércio.
O custo, por sua vez, deve ser analisado de forma individual nesse caso, pois as roupas podem ter valores diferentes. Imagine que o lojista em questão comprou uma calça por R$ 50 para revender em seu comércio. Desse modo, a soma de despesas e custos para essa peça ocorreria assim:
Preço da calça para o lojista = custo + despesas
Preço da calça para o lojista = R$ 50 + R$ 40
Preço da calça para o lojista = R$ 90
Até aí já sabemos que para vender essa calça o lojista vai gastar R$ 90. Nesse sentido, é importante ressaltar que vendê-la por um valor menor que esse resultaria em prejuízo para o negócio. Por isso, o último passo para formar o preço de venda é definir uma margem de lucro para a comercialização do produto, isto é, definir quanto você deseja ganhar com essa venda.
Não há um valor padrão ou ideal para a margem de lucro. O indicado é que você analise qual é o preço praticado pela concorrência e, com base nisso, no valor agregado que você considera justo atribuir ao seu trabalho e nos seus custos e despesas, defina uma margem de lucro que seja competitiva. Por exemplo, imagine que o lojista do nosso exemplo queira uma margem de lucro de 30%. Nesse caso, o preço de venda ficaria assim:
Preço de venda da calça = custos + despesas + margem de lucro
Preço de venda da calça = R$ 50 + R$ 40 + 30%
Preço de venda da calça = R$ 90 + 30%
Preço de venda da calça = R$ 117
Se o lojista perceber que o preço de venda do seu produto está alto demais comparado aos valores praticados pela concorrência, pode diminuir a sua margem de lucro. Já se o preço dos concorrentes for maior que o dele, é possível até mesmo aumentar a margem de lucro. Tudo depende da análise do mercado.

Como otimizar o seu preço de venda

É muito comum que, ao chegar ao resultado do cálculo do preço de venda, o empreendedor perceba que o valor é impraticável no mercado em que atua. Afinal, quando o concorrente vende o mesmo item por um preço menor, é praticamente certo que o cliente vai preferir o produto dele e aí é prejuízo na certa.
Nesse sentido, analisar o mercado é o primeiro passo para entender se seu preço de venda é, ou não, competitivo. Mas além disso, outra medida importante é reduzir os custos e as despesas, pois, como vimos, esses fatores influenciam diretamente nesse valor. Economizar energia elétrica, negociar bons preços com fornecedores ou mesmo escolher parceiros que tenham condições melhores para o seu negócio são atitudes que podem ajudar você a ter um preço de venda eficiente.
A ValoremPay, por exemplo, oferece meios eletrônicos de pagamento que, além de serem seguros, aceitarem várias formas de pagamento e terem um bom suporte, ainda contam com serviço de conciliação integrada, ou seja, você não precisa contratar esse serviço separadamente porque ele já faz parte do serviço que oferecemos. Tudo isso torna as nossas soluções econômicas, o que é um diferencial importante para quem deseja equilibrar o seu preço de venda!
Acesse o nosso site ou entre em contato conosco para saber mais sobre como podemos ajudar a sua empresa! E se você tiver alguma dúvida sobre como formar o preço de venda no seu negócio, deixe seu comentário no espaço abaixo. Nós estamos à disposição para conversar!

Leave a Reply

Solicitar - Máquina móvel (C680)




    * Campos obrigatórios

    Solicitar - Máquina móvel (Link 2500)

    Solicitar - Máquina móvel (D150)




      * Campos obrigatórios

      Solicitar - TEF (PPC930)




        * Campos obrigatórios

        Solicitar - Link de pagamento

        Solicitar - ValoremPay




          * Campos obrigatórios

          Solicitar - Antecipação de recebíveis fornecedores

          Solicitar - Antecipação de recebíveis






            * Campos obrigatórios

            Solicitar - Investimentos






              * Campos obrigatórios

              Investir FIDC

              Investir em Debêntures